162 anos da devoção a Nossa Senhora Aparecida no centro-oeste paulista

6 de agosto de 2020 0 Por Jornal O Debate

Nossa Senhora da Conceição Aparecida é o título mariano de maior devoção do povo brasileiro, sendo considerada um dos principais símbolos nacionais. Desde 1717, com o encontro da pequena imagem de Nossa Senhora da Conceição nas águas do Rio Paraíba do Sul, no então município de Guaratinguetá – SP. As histórias e relatos dos fiéis de graças e milagres ocorridos naquela que se tornaria a cidade de Aparecida – SP, chamada popularmente de “Aparecida do Norte”, se espalhou pelos recantos do país.

A devoção foi trazida então ao centro-oeste paulista, tendo chegado por volta de 1840, quando em territórios do município de Botucatu, planejou-se a criação de um vilarejo dedicado a Nossa Senhora Aparecida. Denominado inicialmente de “Água da Rosa”, o pequeno vilarejo, distante 426km de Aparecida – SP, contou com a doação de terras ao Patrimônio de Nossa Senhora Aparecida.

A primeira capela foi dedicada em 1858, e por ser rota de tropeiros, tornou-se aos poucos um lugar de parada obrigatória para o descanso dos viajantes. Nesse período, foi encomendada das fábricas de imagens de Portugal, uma imagem de Nossa Senhora para a veneração dos fiéis.

A imagem vinda de Portugal difere da imagem encontrada nas águas do Rio Paraíba do Sul. Nesse sentido, como os arquivos do próprio Santuário Nacional de Aparecida apresentam, as primeiras representações da Virgem de Aparecida traziam a santa com a pele branca, como era conhecida na devoção europeia, e especialmente entre os portugueses. Portanto, a imagem confeccionada para a capela de Água da Rosa veio de tamanho maior e de pele branca, todavia, respeitando as características da imagem original, apresentando as mãos postas em oração, o manto e a cora em sua cabeça. Desde sua chegada foi venerada como Nossa Senhora Aparecida.

Em pouco tempo, a capela se tornou pequena diante do crescimento da devoção e dos relatos de graças alcançadas por inúmeros romeiros. Em 1877, foi criada a Paróquia Nossa Senhora Aparecida de Água da Rosa.

Em 1908, foi criada a Diocese de Botucatu, neste mesmo ano, iniciou-se a construção de uma nova igreja. Concluída em apenas três anos, a nova Igreja Matriz, do distrito que passou a se chamar “Aparecida da Água da Rosa”, agora pertencente ao município de São Manuel – SP, foi inaugurada e dedicada em 02 de fevereiro de 1911. Após dois anos, com a crescente devoção e um número cada vez maior de devotos provenientes de toda a região, e vindo até mesmo de outros estados, a igreja foi elevada a santuário.

O primeiro bispo de Botucatu, Dom Lúcio, em 15 de agosto de 1913, elevou a Igreja Matriz a Santuário. Dessa forma, tornou-se o primeiro santuário da recém-criada diocese, e o segundo templo brasileiro dedicado a Padroeira do Brasil a receber esse título.

A história da devoção popular o Santuário de Aparecida de São Manuel, nova denominação dada ao distrito por volta de 1959, é belíssima, pois mostra a simplicidade da religiosidade popular e o apego na figura materna da Mãe do Filho de Deus.

Desde sua fundação em 1858, o local se tornou um centro de peregrinação para milhares de devotos. Uma vez ao ano, acontecia a grande romaria em louvor a Nossa Senhora, que era realizada em 08 de dezembro, dia em que a Igreja celebra a “Imaculada Conceição de Maria”. Em pouco tempo, as festividades foram transferidas para o dia 15 de agosto, data mantida até os dias atuais.

Anualmente, mais de 40 mil fiéis participam das celebrações em honra da Padroeira. Há muitos anos o dia da Padroeira é precedido por uma Novena. Muitas romarias são realizadas, e também atraem milhares de romeiros, as mais tradicionais são a “Romaria a pé das famílias”, a “Moto Romaria” e a “Bike Romaria”. Ao longo do ano são realizadas outras atividades que reúnem muitos devotos.

Texto: Marco Raphael, seminarista da Arquidiocese de Botucatu.