Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

Nosso cartão postal

Construído pelo então prefeito Milton Monti, espaço se tornou um dos principais atrativos de São Manuel

Muitos talvez não saibam, outros não se lembram, mas o Conjunto Poliesportivo de São Manuel ocupou um espaço na cidade que, durante muitos anos, permaneceu dividindo-a em duas partes. Era o chamado “Corte da Fepasa”. Um buraco cheio de lixo, muito mato, até animais mortos ali jogados por populares menos afeitos à preservação do meio ambiente.

Em meados da década de 1950, a então Estrada de Ferro Sorocabana pretendeu modificar o trajeto da sua linha férrea do ramal Botucatu-Bauru, no trecho que passa São Manuel. A ideia era fazer com que os trilhos fossem retirados da parte central da cidade e levados para uma área, na época, desabitada.

O projeto chegou a sair do papel, fizeram-se inúmeras terraplanagens, cortaram-se os morros, moveram-se toneladas de terra e o trecho ficou nivelado. Mas a cidade cresceu justamente naquela direção e o “Corte” virou uma espécie de divisória entre a cidade mais antiga e a cidade que crescia. Isso fez com que o local permanecesse vazio, sujo e inútil durante anos.

Porém, em 1986, o então prefeito Milton Monti, decidiu construir no local um moderno conjunto poliesportivo. Com pista de atletismo completa, campo de futebol, três quadras poliesportivas, piscina aquecida e um ginásio de esportes coberto com capacidade para perto de 3.000 pessoas. Além de acabar com um problema a obra fez com que São Manuel ganhasse um de seus principais cartões postais.

Naquele mesmo ano, 1986, o município sediou os Jogos Regionais, fazendo do Conjunto Poliesportivo o centro das atenções dos moradores da cidade e de visitantes de toda a região. O evento reuniu milhares de atletas. Em 1988 e em 1990, o evento teria como palco o mesmo local.

Antes disso, somente em outras duas oportunidades, 1950 e 1962, São Manuel tinha sediado essa a competição esportiva.

Considerado por muitos como o cartão postal mais significativo da cidade, o Poli é dotado de infraestrutura que permite à população a prática de esportes dos mais variados, além de ter o seu entorno convertido em pista de caminhadas e corridas.

Ao lado da pista de corrida, o complexo ganhou um parquinho com balanços, gangorras, escorregadores, caixa de areia, gira-gira, entre outros brinquedos, que faz a alegrias das crianças. Com o tempo também se achegaram o pipoqueiro e a barraca da garapa, que se tornaram parte desse cenário tão gostoso.