Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

É hora de virar o jogo

Para manter vivo seu sonho, comerciantes buscam às pressas novos caminhos, se reinventam e fazem da fé, criatividade e das redes sociais seus grandes parceiros neste momento de dificuldades e desafios

A crise do novo coronavírus atingiu a todos, porém existe um segmento que está sendo diretamente afetado, o comércio. Esperançosos com a tímida recuperação da economia, comerciantes prospectavam 2020 como o ano da retomada.

Além de hospitais lotados, falta de leito e ruas vazias, a imagem de lojas fechadas é a grande marca desta pandemia e o indicativo de um longo período de dificuldades, que deve seguir após o fim das restrições impostas.

Conforme decreto, nas esferas estadual e municipal, as empresas consideradas “não essenciais” estão sem funcionar, entretanto, os custos fixos não recuaram proporcionalmente diante ao rombo no faturamento. Essa é uma realidade que transcende os limites do nosso município, que se já não bastasse isso já sofria com a falta de oportunidades de empregos e expectativas de crescimento.

O comércio são-manuelense mantém em sua tradição e cultura de ajudar, agora chegou a vez de ajuda-lo. Comerciantes da nossa terra, além de sempre colaboraram, sem medir esforços, com iniciativas culturais e esportivas, entidades assistenciais e projetos sociais da nossa cidade, se somados são os maiores empregadores do município.

Para manter vivo seu sonho, comerciantes buscam às pressas novos caminhos, se reinventam e fazem da fé, criatividade e das redes sociais seus grandes parceiros neste momento de dificuldades e desafios.

Para o proprietário e colaboradores do Grelhadu’s Burguers, o momento atual é de reflexão em busca de dias melhores: “vamos encarar esse tempo como um intervalo da vida. Uma oportunidade para pensar e repensar; que depois dessa, sejamos todos seres mais evoluídos”.

A proprietária do restaurante Tempero Caipira, Juliana Andrade, diz: “que Deus nos conceda forças em momentos difíceis e que nos ampare quando o resto do mundo não puder fazê-lo”. Taty, proprietária da loja By Taty segue a mesma linha de esperança: “Não coloque limite em seus sonhos; coloque fé!”, assim como Priscila Scarparo, proprietária da loja Cravo e Canela, deixa também uma mensagem a todos nós: “quando não podemos mais tocar as mãos de ninguém, podemos tocar as almas uns dos outros!”.

Já a proprietária do restaurante japonês Kátia Sushi, afirma que: “nós, da Kátia Sushi, agradecemos a todos os amigos e clientes que, neste momento tão difícil, se adaptaram ao nosso modelo de delivery. Em um primeiro momento, foi muito difícil aceitar a ideia de trabalhar com o salão fechado, porém, com todos os cuidados sanitários, conseguimos através dos nossos canais digitais, WhatsApp e telefone, informar a todos sobre a mudança. Alguns atrasos nas entregas ocorreram durante estas mudanças, mas com determinação conseguimos ampliar o nosso volume de atendimento, inclusive, com a implantação do sistema ‘encomende com antecedência’, assim reduzimos o volume de pedidos no horário de pico e conseguimos atender a todos. Obrigado pessoal!”.

Até o fechamento desta edição, o prazo estipulado para o término da quarentena é o dia 22 de abril, segundo decreto do Governo do Estado de São Paulo, número 69.420, onde prorroga a quarentena por mais 15 dias a partir do término da que era definida por decreto anterior.