Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

O câncer da pele é de maior índice em todo o país, atento a esse fator a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), promove anualmente a campanha Dezembro Laranja para conscientizar sobre a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, incluindo a importância da fotoproteção para a redução dos riscos. O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA), registra a cada ano cerca de 180 mil novos casos. Existem vários tipos de câncer da pele, o mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem baixa letalidade, porém, seus números são muito altos. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a derme. Os mais comuns são denominados carcinomas basocelular e espinocelular.

Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo do câncer da pele. Quando descoberto precocemente, a doença tem mais de 90% de chance de cura. Dentre todos os tipos, a exposição excessiva e sem proteção ao sol é a principal causa. O câncer da pele pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegrecida, como uma pápula ou nódulo avermelhado, cor da pele ou perolado (brilhoso), ou como uma ferida que não cicatriza.

Portanto, é importante conhecer bem a pele e saber em quais regiões existem as pintas, pois faz a diferença na hora de detectar qualquer irregularidade. Somente o médico poderá analisar e saber qual o diagnóstico. Lembre-se que a melhor forma de evitar a doença é a prevenção!