Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

Um país maior, mas melhor?

Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, para 2019, a população brasileira passa de 210 milhões de pessoas. Só no estado de São Paulo, o mais populoso, tem quase 46 milhões de habitantes. Entretanto, números como estes espantam ao se deparar com a realidade econômica dos brasileiros.

O Serviço de Proteção ao Crédito, SPC, divulgou, em agosto do ano passado, dados que traçam o perfil das pessoas inadimplentes. Só na região sudeste do Brasil, são 46% da população que estão com o nome sujo no mercado.

Isso nos mostra que o salário mínimo brasileiro, hoje em R$ 998,00, não é o bastante para quitar todas as contas da população e atender as necessidades das pessoas.

Espera-se que o Governo anuncie um aumento para R$ 1.040,00 para 2020, sem aumento real, ou seja, sem grandes aumentos. Isso, pois, a atual gestão utiliza-se da inflação para que o cálculo seja feito.

Eis a pergunta para você, estimado(a) leitor(a), há alguma possibilidade de uma família tradicional –constituída por um pai, mãe e filho(a)– viver, ou melhor, sobreviver com tal valor?

É muito importante termos ciência de nossos gastos e controlá-lo da melhor forma possível. Embora esta tarefa seja extremamente delicada e, muitas vezes, frustrantes, precisamos nos adequar à nossa realidade.

Ao passo com que vemos a quantidade de nossa população aumentar, não podemos dizer o mesmo da nossa qualidade de vida, principalmente quando temos informações que são preocupantes.

Faz-se mais do que necessário ensinar educação financeira para que estes erros não façam parte do cotidiano dos novos brasileiros que estão chegando agora.