Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

A fé também move a economia

O Brasil é um país de essência religiosa. Temos um grande vínculo com algo celestial. Segundo da- dos do IBGE, no Censo de 2010, a pesquisa mostra que o número de católicos diminuiu, entretanto, a população evangélica, espírita e ateísta (aqueles que não tem uma religião), aumentou consideravelmente.

Ainda em solo brasileiro, podemos especificar grandes templos religiosos, como o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, parada obrigatória para qualquer fiel católico; o Templo de Salomão, referência ao templo original citado na Bíblia.

A título de curiosidade, circulam milhões de pessoas por ano nesses lugares, o que fez com que a economia dos comércios locais crescerem exponencialmente. Isso sem falar das excursões, romarias, procissões e afins.

Aqui em São Manuel, podemos citar dois casosem específico: o Santuário de Santa Terezinha e ode Nossa Senhora Aparecida, localizada em nosso distrito homônimo. Durante nossa tradicional procissão de Corpus Christi e da Festa da Padroeira, notamos o descolamento de vários comerciantes para atender os que participam destas celebrações.

Temos um potencial para desenvolver nossa economia tendo como base a religião. Não só ela, mas atrelando outros diversos atrativos em conjunto, como a cultura por exemplo.

Você sabia, por acaso, que o Santuário, como por nós é conhecido, foi o primeiro a ser feito em homenagem à santa em toda a América Latina? Um santuário, na igreja católica, só pode ter essa denominação se possuir fragmentos de ossos da mesma que foram trazidas diretamente da Itália para nossa cidade.

São Manuel possui uma série de motivos para incrementar o turismo religioso, que na verdade já existe, necessitando apenas de um aprimoramento, para melhor divulgação daquilo tudo que possuímos. Evidentemente que a participação da população será fundamental para que a cidade possa crescer sempre no desenvolvimento desse processo de divulgação, que é também importante economicamente.