Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

O Brasil precisa de reformas!

Que tal morar numa casa confortável, com muitos empregados, comida farta, cama aconchegante e muitas comodidades?

A maioria das pessoas vai dizer que sim, gostaria disso. Para alguns, inclusive, isso
é um objetivo de vida. Para muitos, talvez nem precise tanto, apenas a casa confortável e comida na mesa já seriam suficientes.

Mas porque nem todos conseguem ter isso? A resposta é simples – porque custa muito caro!

Quando começamos a conhecer o quanto custa todo esse luxo, começamos a pensar no que realmente importa e a alinhar nossos objetivos. Claro, seria muito bom ter muitos luxos, mas no fim das contas acabamos mesmo é vivendo dentro da nossa realidade – conciliando trabalho, família e lazer.

Mas o que isso tem a ver com economia?

Num país a regra é muito parecida com essa. Um país, assim como uma família, tem um orçamento e precisa decidir aonde gastar o seu dinheiro. Seria muito bom termos muitos benefícios (direitos), mas a verdade é que nada sai de graça!

É necessário fazer escolhas.

Normalmente um país privilegia seu orçamento aos investimentos – ou seja – escolhas que vão gerar benefícios futuros. Infra-estrutura, condições de trabalho e educação básica estão entre eles.

Mas quando o orçamento é gasto totalmente com despesas (e não com investimentos), fica mais difícil garantir prosperidade no futuro.

E atualmente esse é um dos grandes problemas do Brasil. Nossa “família” não está conseguindo pagar suas contas e, já alguns anos, está recorrendo ao cheque especial
(no caso, emitindo dívida). Parece um absurdo, afinal de contas temos uma das car- gas tributárias mais altas do mundo. Mas o Brasil gasta mal, com muita despesa e pouco investimento.

E esse ilusionismo de que o que vem do governo não tem custo é um grande erro e que, de certa forma, vem sendo muito explo- rado pela classe política recentemente.

E as consequências disso são péssimas.

Declínio da economia, estagnação do crescimento e, consequentemente, menos arrecadação. E não há como fazer nenhum tipo de política pública sem que haja arrecadação do governo.

Temos visto alguns estados quebrarem, atrasando salários e parando obras. E essa realidade não está muito distante para o país.

O Brasil precisa de profundas reformas.

Tem que gastar menos e investir mais. Nós, brasileiros, temos que ter consciência política e entender que o país precisa crescer para poder distribuir riqueza. Não adianta fazer oposição ou concordar com as pautas simplesmente porque gostamos ou não do governo.

O momento é de extrema importância!

Vamos participar da política, vamos nos empoderar e cobrar mais dos nossos governantes. Mas lembrando que não existe direitos sem deveres…