Artista são-manuelense cria caricaturas e faz sucesso entre os artistas

Bruno Comotti, quando estudante, desde pequeno, teve uma relação muito forte com desenho, leitura e escrita

A caricatura é a “mãe” do expressionismo, movimento artístico do início do século XX, onde o artista desvenda as impressões que a índole e a alma deixaram na face da pessoa. Diz-se que uma boa caricatura pode ainda captar aspectos da personalidade de uma pessoa através do jogo com as formas.

O cartunista Bruno Comotti, quando estudante, desde pequeno, teve uma relação muito forte com desenho, leitura e escrita. “Eu me lembro que minhas notas na escola eram nas matérias que não envolviam cálculos matemáticos. Sempre fui mais de humanas, desenhava desde pequeno. Sempre me destaquei por essa habilidade, desde a época da escola”, ele comenta.

“Em agosto deste ano, completo 10 anos, desde que criei um blog para divulgar meus desenhos e oferecer o trabalho por encomenda”. Bruno percebeu que seu talento poderia se tornar um negócio, quando percebeu que passava a maior parte das aulas dos cursos e faculdade que estudava, fazendo caricaturas dos professores no caderno. “Nessa época, colegas de sala vendo essas caricaturas, começaram a me pedir para fazer a deles também. A partir desse momento, percebi que existia apossibilidade de fazer isso profissionalmente, já que aprocura era grande”, explica o cartunista.

“Eu faço o desenho a partir de fotos. Para o resultado ficar perfeito, preciso de uma foto em boa qualidadee bem visível do rosto, e uma de corpo todo para me basear nas roupas e tipo físico da pessoa. O processo é bem simples. Desenho a mão, então uso os materiaisbásicos pra se desenhar: papel, lápis (grafite e cor) ecaneta preta. Para iniciar uma caricatura preciso visualizar ela pronta na minha cabeça para conseguir colocar aquilo no papel. Daí começo pelo rascunho a lápis. Quando tenho o esboço como quero, passo a arte a caneta, e depois vem a parte de colorir, que é a última do processo”, diz Bruno.

Bruno explica seu estilo: “Tento criar meu própriojeito de desenhar. Não foco no trabalho ou traço de outros desenhistas. Tento deixar o rosto das pessoas o mais próximo possível do real, e exagero no tamanho da cabeça, mãos e pés apenas. Isso é uma coisa que fui moldando com o tempo, já que muitos clientes querem sua caricatura, mas não querem ver seu nariz grande maior ainda no desenho, por exemplo.

Bruno já fez muitas caricaturas para pessoas famosas, o que tornou sua arte reconhecida no meio artístico. “É uma das partes mais legais do trabalho. Claro que ver um cliente feliz com o resultado do seu trabalho é bom. Mas quando uma arte minha chega até alguém famoso e muito importante, é algo surreal”, comenta o artista.

Aos jovens cartunistas, Bruno deixa um recado, “Praticar, praticar, praticar! Tentar sempre trazer algo novo, ser criativo, fazer algo diferente do que os outros fazem e buscar sempre se aperfeiçoar, não só com cursos especializados, mas também seguindo seu feeling de artista. E o mais importante: Não desistir, mesmocom tanta gente desmotivando, menosprezando ou com toda a falta de apoio que todo artista merece. A melhor parte de ser um cartunista, ou qualquer outro trabalho, é fazer o que gosta e se divertir ao longo decada trabalho”, finaliza o cartunista Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *