Jornal O Debate

Informação com Credibilidade

Especialistas garantem que casos de miopia em crianças aumentam com uso de celulares

Organização Mundial da Saúde prevê que, até 2020, 35% das pessoas terão miopia

A OMS, Organização Mundial da Saúde, divulgou um novo guia de saúde e uma das recomendações é que as crianças entre 2 e 5 anos de idade passem, no máximo, uma hora por dia diante das telas, isso inclui celulares, tablets e computadores. Um dos motivos dessa recomendação da OMS é que estão aumentando os casos de miopia entre as crianças e tem tudo a ver com o uso excessivo das telas.

Cada vez mais cedo as crianças estão mexendo com essas novas tecnologias. É um recurso que muitas vezes os pais usam até para acalmar os filhos, mas é preciso ter limites. Eles estão presentes todos os dias, quase sempre por muito mais tempo do que deveriam. Ainda que sejam considerados um recurso imprescindível no dia a dia, esses eletrônicos também são responsáveis pelo aumento na incidência de doenças oculares, o que tem levado pacientes cada vez mais cedo para a consulta com o médico oftalmologista.

Segundo o Dr. Francisco Antônio Martins, os casos de miopia em crianças na fase pré-escolar estão tendo um aumento considerável, e muitos desses casos estão relacionados ao tempo de uso de celulares, tablets ecomputadores. “As crianças e adolescentes ficam muito tempo focados nos aparelhos, e deixam de ficar ao arlivre. Um mecanismo de nossa visão, chamado de acomodação, nos permite olhar objetos distantes e focar com nitidez objetos próximos. Esse foco é feito com a contração do músculo ciliar, o anel no meio do olho para visão a distância. O excesso de esforço pode gerar fatores associados ao aumento da miopia”, esclarece. É o que acontece quando se força a vista ao digitar e assistir a vídeos em celulares e computadores. Devido a isso, é muito importante que crianças e adolescentes tenham um limite de horário, sempre com intervalos, de preferência ao ar livre, aonde possa ter uma visão mais abrangente.

Parte considerável do tempo gasto em frente a uma tela é destinada à visualização de vídeos e outras imagens em movimento (como as de games, por exemplo), especialmente entre crianças e adolescentes. De acordo a médica oftalmologista pediátrica do Pietà Centro Médico e do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Christie Michelle Graf, a visualização em excesso de vídeos é capaz de prejudicar a visão.

“É praticamente impossível proibir o uso dessas tecnologias, mas deve haver um controle de tempo rigoroso por parte dos pais ou responsáveis. As crianças estão passando cada vez mais tempo em ambientes fechados acompanhadas dessas telas, sempre muito próximas ao rosto. Isso faz com que os olhos focalizem apenas para perto, um mecanismo capaz de alterar o formato do globo ocular”, diz ela.”

“Essa modificação no formato favorece o desenvolvimento de miopia (que caracteriza a má visão à distância), uma condição cuja incidência já é muito mais elevada em comparação ao que se notava anos atrás. “O comum era diagnosticar pacientes com idades entre oito e 18 anos. Hoje, crianças em idade pré-escolar já apresentam cada vez mais o problema, que surge mesmo nos indivíduos sem a predisposição genética”, comenta a médica.

O fato de as crianças estarem muito dentro de casa também colabora com o surgimento ou piora da miopia. O sol é um importante fator de bloqueio na progressão da condição. Além disso, ambientes externos estimulam o olhar para longe, algo essencial na prevenção e controle da fadiga ocular. A exposição solar deve ser sempre segura e a visita anual ao médico oftalmologista é indicada.

De acordo com o oftalmologista, Dr. Paulo Fernando Bortotto, o uso excessivo do celular e do computador ao longo dos anos, cria um quadro de miopia, onde crianças que não desenvolveram miopia na fase de infância, aos 6, 7 anos, ou na adolescência, estão desenvolvendo com menos idade e de uma forma agressiva, com valores mais altos. A mesma coisa está ocorrendo com os adultos, que nunca tinham usado óculos anteriormente, hoje aos 30, 35 anos começam a desenvolver miopia, devido ao uso excessivo de celular e computador. Inclusive a Organização Mundial de Saúde lançou um boletim, há mais ou menos uns 8 meses, no qual prevê que em 2040, metade da população mundial, aproximadamente 4 bilhões de pessoas, vão precisar usar óculos.

Esse é o 1º ponto. O 2º ponto é em relação a radiação do celular nos olhos, que ao longo dos anos pode proporcionar alterações na camada da retina, principalmente nos cones, que é a visão central, onde nós recebemos a visão colorida, visão transferida para o cérebro. Na área central, onde estão localizados 95% dos cones e que chamamos de mácula, o excesso de radiação pode interferir nessas células e degenerá-las, proporcionando uma retinite secundária a esse processo crônico da radiação do celular.

Estas são as duas maiores preocupações a esse respeito. Então, eu aconselho no caso da miopia, que as pessoas façam uso do celular e do computador e a cada 40 minutos, dê um descanso de pelo menos cinco minutos e sempre que possível saia de casa, vá à um parque, a um lugar aberto e olhe para longe, nãotendo que fixar a visão de perto e assim descansar amusculatura. Em relação a retinite causada pela radiação das ondas do celular é interessante que o paciente use óculos com filtro azul para minimizar esse processo.

O que não se pode negar é que o uso constante e abusivo de telas vem inaugurando uma nova era na saúde visual. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica (SBOP) preconiza que o uso de eletrônicos entre crianças não ultrapasse os 30 minutos diários e não aconteça antes dos dois anos de idade. Impor limites é sempre recomendado.