Edição 606 de 16/11/2018

Ataques de escorpiões preocupa população

Aqui por São Manuel foram registrados pelo menos dois casos de acidentes com escorpiões neste ano, 

e diversos relatos de surgimento do artrópode, que colocaram a Vigilância Epidemiológica em alerta.

A infestação de escorpiões tem preocupado a população e autoridades da área da saúde.

Já tivemos inclusive a morte de crianças em nossa região, como por exemplo em Barra Bonita, onde um menino de 6 anos morreu após ser picado por este inseto.

Aqui por São Manuel foram registrados pelo menos dois casos de acidentes com escorpiões neste ano, e diversos relatos de surgimento do artrópode, que colocaram a Vigilância Epidemiológica em alerta.

O combate ao escorpião tem que ser feito com a prevenção.

A recomendação da Vigilância é para que moradores mantenham seus terrenos limpos, livres de entulhos e ainda fechar bem os locais de armazenagem de lixo (latões, lixeiras, sacos, entre outros). A diretoria da saúde recomenda para que os moradores registrem o surgimento de escorpiões “Muitas pessoas podem simplesmente matar o animal e se não houver picadas não comunicarem as autoridades. Mas esse registro é importante”, avisa a veterinária Laura Martins Caglioni.

A picada de escorpião faz com que a pessoa sinta uma dor intensa e imediata no local e é acompanhada por vermelhidão, muitas vezes sem evolução. A Diretoria de Saúde alerta para que, em casos de picada, as pessoas procurem a Unidade de Saúde mais próxima, o mais rápido possível.


Soro

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com uma ação para que a União e o Estado de São Paulo disponibilizem, pelo menos, seis doses de soro antiescorpiônico em cada um dos municípios da região de Jaú (SP).

O objetivo é garantir o atendimento emergencial em episódios graves de picadas de escorpião, geralmente envolvendo crianças e idosos.

Segundo o MPF, as cidades de Bariri, Barra Bonita, Bocaina, Dois Córregos, Igaraçu do Tietê, Itaju Itapuí, Mineiros do Tietê e Torrinha não possuem doses em suas unidades de saúde. Os pacientes precisam se deslocar até a cidade de Jaú para receber o tratamento.

Para o Procurador da República, Marcos Salati, autor da ação, o transporte da vítima por causa da falta de soro é um ponto preocupante. Ainda, afirma que a distribuição feita apenas para os polos regionais ignora o fato de que os ataques podem acontecer a qualquer momento, mesmo em cidades que nunca registraram esse tipo de incidente.

Aqui em São Manuel também não temos o soro antiescorpiônico disponível. Os casos emergenciais são encaminhados ao Hospital da Unesp de Botucatu. A Diretoria de Saúde informou que já solicitou doses do soro para a Secretaria Estadual de Saúde, mas que ainda não recebeu.


Dados

Segundo o Ministério da Saúde, desde o início do ano foram enviadas 22.464 ampolas de soro antiescorpiônico a todas as unidades da federação para tratar pessoas que sofreram acidentes com escorpiões. Desse total, os estados utilizaram 63% do quantitativo enviado.

A região de Bauru conta com quatro unidades estratégicas para aplicação do soro, localizadas nos municípios de Bauru, Jaú e Lins. O envio de ampolas a São Paulo continua ocorrendo de forma irregular.

A necessidade do Estado é de 650 ampolas por mês, em média, mas o ministério tem feito entrega parcial. Em agosto, por exemplo, foram recebidas 500 ampolas para distribuição em setembro.

Central São-manuelense de Comunicação – Jornal O Debate, Rua Cel. Rodrigues Simões, 69
Centro – São Manuel – SP, Telefones (14) 3842.3637 / 3841-4459 – contato
Desenvolvimento e Hospedagem: TeraQualy