Edição 597_revista de 15/06/2018

Poliesportivo completa 32 anos

Cartões postais São Manuel têm muitos, mas nada se assemelha ao Conjunto Poliesportivo, possivelmente, uma das obras mais representativas levadas a cabo no município e cuja imponência desperta a atenção de pessoas daqui e de fora. Um espaço importante que mudou radicalmente a rotina esportiva do município dada a estrutura ali existente, moderna e funcional.

Todavia, não é demais lembrar, durante muitos anos aquele local, dividido em duas glebas, que os são-manuelenses rotularam de Corte da Sorocabana, e, posteriormente, “Corte da Fepasa”, era um grande nada. Na verdade, como o Estado não levou o plano adiante, isto nos anos 1950 - a ideia era tirar os trilhos da ferrovia do centro da cidade, transferindo-os para aquele ponto -, a imensa área converteu-se em depósito de lixo. Justiça seja feita: até fizeram a terraplenagem e prepararam o terreno para receber o novo traçado, mas não passou disso. O que se via era muito mato e a sensação de abandono tornava feio o lugar.  Além do fato que, como a zona urbana crescia, ela praticamente foi cortada ao meio pelo projeto inconcluso. 

Esse quadro se manteve assim, inalterado, por longos anos até que, em 1986, o então prefeito e hoje Deputado Federal Milton Monti resolveu dar uma destinação ao lugar, investindo na construção de um magnífico conjunto poliesportivo - obra que, entre outras melhorias, teve o mérito de embelezar aquela parte da cidade. Dotado de pista de atletismo completa, campo de futebol, três quadras poliesportivas, piscina aquecida e um ginásio de esportes coberto com capacidade para, aproximadamente, 5 mil pessoas, o conjunto logo ganharia realce com a realização em São Manuel, naquele mesmo ano, dos Jogos Regionais

Seguiram-se outros encontros esportivos, a exemplo dos Jogos Regionais de 1988 e 1990, ambos levados a efeito ali. Em1950 e 1962, São Manuel também foi sede dessa tradicional competição esportiva, mas sem o glamour das instalações que só viriam a ser erguidas anos mais tarde por Milton Monti. 

Em 2013, no exercício do então prefeito Marcos Monti, o Conjunto Poliesportivo passou por um processo completo e complexo de revitalização com a construção de novas guias na pista de atletismo, instalação de bebedouros, início de melhorias nas bases dos alambrados, reparos na pista e reforma total das quadras externas, incluindo a troca dos alambrados. Na quadra coberta foi retirado o piso de madeira, considerado perigoso por esportistas e órgãos do setor, e refeito o contrapiso com a posterior aplicação de uma nova camada de concreto queimado com pintura emborrachada, técnica utilizada atualmente em muitas quadras poliesportivas de alto rendimento no Brasil. E teve a instalação de refletores no campo de futebol e que só foi possível graças à verba destinada pelo Deputado Federal Milton Monti. Essa melhoria foi muito bem aceita por aqueles que praticam esporte, mais especificamente o futebol, já que a falta de iluminação limitava o horário das partidas. Outro beneficio que pode ser citado é a substituição do sistema de aquecimento da piscina. A antiga caldeira a lenha cedeu lugar a modernos aquecedores solares, beneficiando tanto a população que utiliza o espaço, quanto o meio ambiente.

No Poliesportivo também foi instalada a primeira Academia ao Ar Livre da cidade, construída ao lado do parquinho. Os equipamentos foram adquiridos por meio de uma parceria entre o Fundo Social de Solidariedade e o Governo do Estado de São Paulo. Batizada com o nome do atleta Jardel Santarém, esportista são-manuelense que defendeu o extinto time masculino do América Futebol Clube, e inaugurada oficialmente em 29 de dezembro daquele ano com a presença de diversas autoridades, como o Deputado Federal Milton Monti e o Ministro da Saúde Artur Chioro, a academia foi montada com o objetivo de estimular a prática de atividades físicas e oferecer uma nova opção de lazer para a população, tornando-se, portanto, grande aliada na luta contra o sedentarismo. Os equipamentos, em número de onze, são práticos, funcionais e apresentam biomecânica diferenciada, ou seja, não possuem peso. Trata-se de um sistema que se adapta aos usuários, que se utilizam do peso do próprio corpo para os exercícios de musculação e alongamento.

Aquele espaço é uma ótima opção para quem pretende começar a realizar atividades físicas, principalmente na terceira idade. Com a vantagem de ter um ambiente agradável, a academia ao ar livre do poliesportivo disponibiliza aparelhos que ajudam a trabalhar a força muscular e ativar as articulações. Os benefícios à saúde são inúmeros: além de cooperar com as pessoas desejosas de queimar calorias, ajuda no tratamento da bursite (inflamação das bursas, pequenas bolsas localizadas entre os ossos e os tendões das articulações do ombro) e da própria tendinite.

“A prática de atividades físicas, é inegável, deve auxiliar a saúde da nossa população”, comentou Marcos Monti na época da inauguração daquela instalação. “O município já possui o “Poli”, um excelente complexo esportivo, e agora, com a academia ao ar livre, os são-manuelenses passam a dispor de um leque maior de opções para a prática de exercícios”, completou.

Hoje em dia, quem passa pelo Conjunto Poliesportivo pode ver as pessoas correndo ou andando a passos rápidos e as crianças brincando no parquinho ali existente. Enfim, depois de 32 anos, o “Poli” tornou-se o espaço preferido da população para a prática de esportes e exercícios físicos, um patrimônio valiosíssimo que pertence a todos nós. É preciso, portanto, cuidar das coisas que temos aqui, não apenas para satisfazer os habitantes de hoje, mas também os são-manuelenses de amanhã.

Central São-manuelense de Comunicação – Jornal O Debate, Rua Cel. Rodrigues Simões, 69
Centro – São Manuel – SP, Telefones (14) 3842.3637 / 3841-4459 – contato
Desenvolvimento e Hospedagem: TeraQualy