Coalizão de Berlusconi sobrevive a voto na Câmara da Itália

ROMA – A coalizão do primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, mais uma vez sobreviveu por pouco a um voto no Parlamento na quinta-feira, 22 de setembro, quando os deputados decidiram não retirar a imunidade de um aliado do premiê investigado por corrupção, Marco Milanese.

A Câmara dos Deputados aprovou por 312 votos a manutenção da imunidade de Milanese, que também é deputado. Outros 306 deputados votaram contra. Milanese, em ex-assessor do ministro das Finanças, Giulio Tremonti, foi implicado em um escândalo de corrupção em Nápoles.

A votação foi secreta e significou mais um teste para a frágil coalizão de centro-esquerda de Berlusconi. O premiê se disse satisfeito com a votação mas não fez mais comentários. Milanese renunciou ao cargo de assessor de Tremonti em junho, quando a promotoria de Nápoles o acusou de passar informações confidenciais em trocaq de dinheiro e favores. Milanese negou as acusações.

Se a imunidade de Milanese caísse, isso seria um sinal de que Berlusconi não possui mais a maioria na Câmara. Além disso, significaria uma queda ainda mais acentuada na credibilidade do ministro das Finanças.



AIEA aprova resolução contra bombas atômicas no Oriente Médio
leia mais >>


Presidente do Iêmen retorna ao país após três meses
leia mais >>


ONU promete analisar com rapidez projeto de Estado palestino
leia mais >>

Oposição denuncia prisão de mais de 20 dissidentes em Cuba
leia mais >>

Tremor de magnitude 6,6 atinge Japão
leia mais >>

Tragédia no País de Gales termina com quatro mineiros mortos
leia mais >>

Central São-manuelense de Comunicação – Jornal O Debate, Rua Cel. Rodrigues Simões, 69
Centro – São Manuel – SP, Telefones (14) 3842.3637 / 3841-4459 – contato
Desenvolvimento e Hospedagem: TeraQualy